Rotary elogia heróis desconhecidos no Dia Mundial de Combate à Pólio

Rotary elogia heróis desconhecidos no Dia Mundial de Combate à Pólio

O Rotary e a Fundação Gates organizaram o quinto Dia Mundial do Combate à Poliomielite para destacar o progresso na luta para erradicar a doença

Depois de mais um ano de diminuição dos casos de poliomielite, líderes rotários, principais especialistas em saúde e celebridades disseram no dia 24 de outubro – Dia Mundial da Pólio – que a doença paralisante nunca esteve mais próxima de ser erradicada globalmente.

Uma apresentação especial em direto (Livestreamed) – End Polio Now: Countdown to History – apresentou as pessoas que trabalham incansavelmente para acabar com a doença e analisou o progresso que a Iniciativa Global de Erradicação da Pólio (GPEI) já fez.

Co-organizado pelo Rotary e pela Fundação Bill & Melinda Gates, o programa de 45 minutos ocorreu perante uma audiência ao vivo na sede da Fundação Gates em Seattle, Washington, EUA, e foi transmitido on-line para os telespectadores de todo o mundo. Mark Wright, apresentador de notícias da estação de televisão local da NBC e presidente do Rotary Club de Seattle, e a apresentadora de notícias da CNN, Fredricka Whitfield, lideraram o evento.

Wright atualizou o público sobre os últimos números de casos de poliomielite dizendo que o número total de casos causados pelo poliovírus selvagem até o momento é de 12, com sete casos no Afeganistão e cinco no Paquistão. Esta é uma redução de 70% desde 2016 e é a menor contagem de casos de poliomielite na história.

“A escala do esforço é surpreendente”, disse ele. “Todos os anos, 2,2 mil milhões de doses de vacina são entregues a 430 milhões de crianças, através de uma sofisticada rede de abastecimento e logística de vacinas”.

Sue Desmond-Hellmann, diretora executiva da Fundação Gates, iniciou o evento a elogiar os membros do Rotary e os profissionais de saúde da linha de frente pela dedicação a lutar pelo fim da doença.

Desmond-Hellman disse: “Nada seria possível sem os esforços de milhares de voluntários em todo o mundo que, às vezes em situações perigosas, entregam e administram vacinas contra a poliomielite para proteger as crianças. Isso vale a pena celebrar”.

Na Convenção do Rotary no início deste ano, a Fundação Gates e o Rotary renovaram o seu apoio de longa data para acabar com a pólio: o Rotary comprometeu-se a arrecadar 50 milhões de dólares por ano nos próximos três anos, com cada dólar a ser dobrado pela Fundação Gates. O acordo chegará aos 450 milhões de dólares para esforços de erradicação.

O Rotary gastou mais de 1,7 mil milhões de dólares na erradicação da pólio desde 1985. No início deste mês, o Rotary concedeu  49,5 milhões em subsídios para apoiar imunizações e atividades de vigilância lideradas pelo GPEI.

A vice-presidente do Rotary, Dean Rohrs, foi até ao palco para destacar alguns membros do Rotary que estão a angariar fundos para a erradicação da pólio de maneiras criativas. Um exemplo foi o Rotary Club de Viljoenskroon, África do Sul, que está a colocar mealheiros End Polio Now nos negócios locais. Membros do Rotaract Club de Curitiba Oeste, Paraná, Brasil, fizeram um espetáculo de rock e doaram todas as vendas dos bilhetes para o End Polio Now.

Rohrs disse que os rotários estão a organizar mais de 2.700 eventos como este, em todo o mundo, para comemorar o Dia Mundial da Pólio.

“A história é uma coisa complicada, e por muitas razões, focamos as mesmas narrativas, o mesmo nome familiar repetidamente”, disse Rohrs. “No entanto, sob a superfície está a complexidade, e os heróis desconhecidos – e os heróis que conheço melhor são os meus colegas membros do Rotary. ”

Ela acrescentou que os rotários “atravessam culturas diferentes para alcançar todas as comunidades. Nós persuadimos os pais de que duas gotas de vacina são críticas para a saúde de cada criança. Participamos em dias nacionais de vacinação em grande escala, como no Paquistão, onde protegemos mais de 40 milhões de crianças com menos de 5 anos de idade. E também espalhamos consciência e angariamos fundos para a causa “.

Dan Kopf, jornalista de economia do site de notícias Quartz, falou sobre o impacto económico que a erradicação da poliomielite poderia ter. Ele observou que é muito menos dispendioso evitar doenças do que tratá-las.

Estima-se que a vacinação economize 20 mil milhões de dólares por ano a países em desenvolvimento, disse ele.

De acordo com Kopf, os benefícios dos gastos de erradicação da poliomielite superarão os custos em quase 50 mil milhões de dólares entre 1985 e 2035. E durante esse período, 8 milhões de vidas serão salvas.

Numa sessão de perguntas e respostas, Jeffery Kluger, editor de ciência da revista Time e Jay Wenger, epidemiologista e diretor dos esforços de erradicação da pólio da Fundação Gates, falaram sobre os últimos desenvolvimentos na luta contra a erradicação da doença. Wenger observou que uma forte vigilância e campanhas de vacinação em massa “levaram-nos a um lugar onde vimos menos áreas de circulação do vírus do que nunca”.

“O objetivo aqui é que temos que alcançar cada criança com a vacina. Esse é o nosso alvo”, disse Wenger.

Os parceiros da Pólio concordaram em não dizer que o mundo é livre da doença até que os traços do vírus não sejam detetados no ambiente, mesmo que os casos de paralisia relacionada à poliomielite desapareçam antes disso.

O evento incluiu uma exibição do trailer de “Breath”, um longa-metragem que conta a história do sobrevivente britânico da pólio Robin Cavendish, que contraiu a doença no Quénia em 1958. Paralisado do pescoço para baixo, Cavendish e a sua esposa, Diana, passaram o resto das suas vidas a defender pessoas com deficiência.

As estrelas do filme, Andrew Garfield e Claire Foy, e o diretor, Andy Serkis, encorajaram a audiência por vídeo a manter a luta para acabar com a doença.

Outras celebridades que participaram no evento incluíram a estreda da WWE John Cena, a estrela pop nigeriana Tiwa Savage e a paralímpica e sobrevivente da pólio Ade Adepitan.

No seu vídeo, Adepitan disse que o dia em que o mundo for declarado livre da pólio pode ser “o maior dia da raça humana até agora”.

O entretenimento incluiu um vídeo que apresentou o aventureiro Bear Grylls, que explicou a cadeia de frio necessária para as vacinas contra a poliomielite. A audiência também assistiu a um vídeo que mostrava como a vigilância está a desempenhar um papel crucial na procura dos locais onde o poliovírus está a circular. O evento encerrou com um vídeo de membros do Rotary a dizer o que a erradicação da poliomielite significa para eles.

Claudete Sulzbacher, membro do Rotary Club de Santa Cruz do Sul, no Rio Grande do Sul, que organizou mais de 1.600 eventos de angariação de fundos, disse: “Não temos barreiras, não temos fronteiras, podemos promover paz, e podemos mudar a vida de muitas pessoas”.

Por Ryan Hyland

Fotos por Alyce Henson

Comentários