Rotary Club de Castelo Branco: projeto dá nova vida ao CIJE com criação de biblioteca

Rotary Club de Castelo Branco: projeto dá nova vida ao CIJE com criação de biblioteca

“Notícias” da Fundação Rotária Portuguesa (FRP). Divulgamos mais uma iniciativa inserida no âmbito do regulamento de candidatura a projetos de apoio da FRP. Conversámos com Elizabeth dos Santos Correia, do Rotary Club de Castelo Branco, responsável por acompanhar o projeto que o clube desenvolveu no sentido de ajudar a equipar a biblioteca de uma instituição da cidade. O clube, que este ano rotário é presidido por Adriano Martins, deu ao projeto o título “Equipar uma biblioteca à CIJE – Casa da Infância e Juventude”.

Refira-se que a conclusão do projeto teve lugar a 8 de junho, com a realização de uma sessão que juntou elementos do Rotary Club de Castelo Branco, nomeadamente, Adriano Martins, presidente, José Félix da Silva, Elizabeth Correia, Tânia Martins e Francisco Alveirinho Correia, presidente entrante do ano rotário 2018/2019, e a comunidade da CIJE, representada pela professora Ludovina Sousa Santos.

Segundo Elizabeth Correia, este projeto que decorreu com o apoio da Fundação Rotária Portuguesa, concretizou «uma melhoria muito significativa na Casa de Infância e Juventude de Castelo Branco», com a entrega de diversos livros, mesas e cadeiras, que totalizaram o valor de dois mil euros. A instituição, cujo lema é “Educar e Socializar para a Autonomia e Desenvolvimento Integral da Criança e Jovem” tem 150 anos de história e acolhe meninas carenciadas de meio familiar, que sejam institucionalizadas ou pelo Tribunal ou pela CPCJ, tendo acolhido cerca de 70 jovens.

Atualmente estão na CIJE cerca de 36 meninas com idades compreendidas entre os 4 e os 18 anos. Frequentam a escola, bem como têm atividades paralelas. Mas, segundo a nossa interlocutora “necessitavam de uma biblioteca para nas horas de lazer terem um espaço onde pudessem estar. Um local só para a leitura para manusear e cheirar os livros, apreenderem a sonhar. O Rotary Club de Castelo Branco proporcionou-lhes esse espaço. Um espaço com armários mesas cadeiras pufs e livros”.

Para Elizabeth Correia “Rotary é servir, é Dar de Si antes de Pensar em Si” e nesse âmbito o clube de Castelo Branco, neste ano rotário que está a terminar, apoiou ainda uma segunda IPSS, o Projeto Homem.

Notícias (N.) – Que balanço faz da participação do RC Castelo Branco no programa de apoios que resulta do novo Regulamento de Candidatura a Projetos de Apoio à Fundação Rotária Portuguesa?
Elizabeth Correia (E.C.) – O balanço é muito positivo.

N.– Em Fevereiro último, o clube candidatou um projeto na área da Alfabetização/Educação “Equipar uma Biblioteca – CIJE – Casa da Infância e Juventude”. Qua são os principais beneficiários desta iniciativa?
E.C. – As beneficiárias deste projeto foram [são] jovens carenciadas de meio familiar. Crianças e jovens que por variadíssimas razões não têm uma família estruturada onde possam viver e desenvolver-se na sua “plenitude” afetiva, social, psicossocial, económica, entre outras variantes.

N. – Para concretizar este projeto o clube realizou parcerias? Em caso afirmativo com quem?
E.C. – Neste caso concreto foram todos os elementos do Rotary Club de Castelo que participaram ativamente neste processo.

N. – Que novos projetos pensa o clube desenvolver?
E.C. – Neste momento temos outros projetos que irão contemplar outras instituições vocacionadas para a deficiência.

N. – Que comentário lhe suscita a participação da Fundação Rotária Portuguesa no apoio financeiro aos projetos apresentados pelos clubes. É uma mais-valia?
E.C. – A participação da FRP é fundamental. Sem ela os projetos estariam em risco de não serem concretizados.

N. – Entende que os projetos dos clubes se devem confinar apenas e, só, à área de Alfabetização/Educação ou que também seja alargado aos projetos Promoção de Saúde e Recursos Hídricos e Ambiente, conforme previsto no plano estratégico em vigor?
E.C. – Pessoalmente, a educação/alfabetização e a saúde são as ênfases mais importantes.

Comentários