RC de Viana do Castelo ajuda a melhorar as condições de vida em CaCheu na Guiné Bissau

RC de Viana do Castelo ajuda a melhorar as condições de vida em CaCheu na Guiné Bissau

O Rotary Club de Viana do Castelo, em parceria com a Associação de Cooperação com a Guiné Bissau (ACGB), diferentes entidades públicas e privadas, e com o apoio o programa 3H (Health, Hungry and Humanity – Saúde, Fome e Humanidade) da The Rotary Foundation conseguiu melhor significativamente a qualidade de vida na antiga capital da Guiné Bissau, Cacheu. Para além da reabilitação de um antigo Centro de Saúde, construíram uma maternidade, cinco sanitários públicos, deram formação aos professores entre muitas outras coisas.

Cacheu é uma das oito regiões ou sectores que dividem a Guiné Bissau. Ao todo tem 16.000 habitantes em 901,25 km2 o que dá cerca de 16,9 habitantes por km2. É dominada pelos grupos étnicos dos manjacos, balantas, felupes e mancanhas. Situada na margem sul do rio Cacheu está a cidade com o mesmo nome que tem cerca de 6000 habitantes, onde 44% são jovens com menos de 15 anos, 35% pessoas dos 15 aos 44 anos  e 21% com mais de 44 anos.

A ligação de Viana do Castelo à cidade de Cacheu, antiga capital da  Guiné Bissau é já bastante antiga. Foi em 1988, aquando do 4º centenário da chegada dos portugueses àquela parte de África que Viana do Castelo geminou-se com Cacheu.

Depois de vários anos de ligação nasceu, em 2005, a Associação de Cooperação com a Guiné Bissau (ACGB). À ACGB  juntaram-se outras instituições como o Rotary Club de Viana que ajudaram em tudo o que era necessário. Após visitas a Cacheu perceberam que os principais problemas estavam na saúde e na educação.

Começaram por reabilitar o único Centro de Saúde da cidade e por angariar todo o tipo de material hospitalar. Através do subsídio 3H da The Rotary Foundation fizeram campanhas de vacinação, deram apoio logístico a mais de 80 operações às cataratas e fizeram o despiste e deram óculos a mais de 386 cachuenses.

Naquela altura a mortalidade infantil na Guiné Bissau era assustadora e assim sentiram que era fulcral a construção de uma maternidade. Ao mesmo tempo que era construída a maternidade, com apoio financeiro da empresa Manuel Pimenta, reapetrecharam o centro de saúde com material novo e instalaram painéis solares que garantiam energia elétrica 24 horas por dia. Nos anos seguintes à construção da maternidade o número de partos assistidos triplicaram e não houve nenhuma morte durante um parto.

Ainda através do subsídio 3H o Rotary Club de Viana do Castelo e a ACGB construíram cinco sanitários públicos e instalaram painéis fotovoltaicos para garantir que a cidade de Cacheu era abastecida de água canalizada durante as 24 horas do dia.

Não foi só a nível de saúde que a população de Cacheu sofreu melhorias significativas. Também foram desenvolvidos vários projetos no âmbito da educação. Recuperaram um edifício e instalaram um Centro de recursos com uma biblioteca, uma sala multimédia com nove computadores e cinco microscópios e energia elétrica através de painéis solares. Organizaram mais de 300 horas de formação para os professores locais, com aulas de português, matemática, educação física, informática, sexualidade entre outras.   Eainda reabilitaram o jardim de infância Girassol e ofereceram um jipe que lhes tinha sido doado pela associação Natuga.

Apesar de tudo isto e de todo o bem feito pela ACGB, pelo RC de Viana do Castelo e outras entidades, ainda há muito trabalho a ser feito em Cacheu. E o apoio vai continuar. Para José Carvalhido da Ponte do RC Viana do Castelo  “o trabalho nunca acaba e o que pudermos vamos fazer”.

Comentários