Jovem Distinguida com Bolsa no aniversário da FRP: Joana Blanquet surpresa por receber prémio pensa seguir Bioquímica

Jovem Distinguida com Bolsa no aniversário da FRP: Joana Blanquet surpresa por receber prémio pensa seguir Bioquímica

Joana Blanquet André Gonçalves, aluna que este ano letivo frequenta o 10.º ano na Escola Básica e Secundária do Cerco do Porto, foi uma dos jovens distinguidos no 59.º Aniversário da Fundação Rotária Portuguesa. Joana Blanquet Gonçalves recebeu a Bolsa do Fundador Avelino Manuel da Silva, através do Rotary Club do Porto-Douro. Nesta conversa fala-nos da sua motivação para ser uma boa aluna; da forma como ficou surpreendida em receber este prémio de mérito escolar e como gostaria de seguir carreira académica na área da Bioquímica.

Notícias (N.) – O que é que te motiva a seres uma boa aluna? 
Joana Blanquet Gonçalves (J.B.G.) – O que me motiva a ser uma boa aluna é saber que a escola tem um papel relevante para definir o meu futuro, podendo deste modo contribuir para que escolha uma profissão de acordo com o meu gosto e permitir mais tarde a minha independência. Também me motiva o facto de os meus familiares, amigos e professores confiarem muito em mim e me apoiarem em tudo o que preciso.

N. – Ficaste surpreendida por teres sido escolhida para receber uma bolsa de âmbito escolar? 
J.B.G. – Fiquei surpreendida obviamente, tal como eu, existem muitos outros alunos que também a mereciam. Não acredito que meros números caracterizem o esforço e dedicação de uma pessoa. O que é valorizado com as bolsas escolares é esse esforço e dedicação. Reconheço que me esforcei bastante, mas constato também que outros colegas meus poderiam ter sido considerados.

N. – Uma vez que recebeste esta bolsa, em que medida é que te vai ajudar? 
J.B.G. – A bolsa é de facto um instrumento financeiro que certamente me ajudará na aquisição de material escolar, na participação de viagens de estudo e ainda economizar para as despesas da faculdade. 
É também importante referir o seu valor intrínseco como uma via que simboliza a confiança, o reconhecimento e o apoio que me motiva assim a continuar a trabalhar para cumprir os meus objetivos de vida.

N. – No teu percurso académico, com certeza que te deparaste com diversas dificuldades. Qual ou quais as que mais te marcaram? 
J.B.G. – Como estou integrada em vários grupos e participo em várias atividades, surge-me muitas vezes o problema da falta de tempo e o cansaço. A minha vida durante as aulas é uma autêntica corrida, tenho imensos trabalhos para fazer, avaliações, responsabilidades e claro, não consigo dar 100% de atenção a tudo. 
A frustração de uma nota que não corresponde à dedicação que lhe dei por vezes, sinto algum desalento.

N. – Neste momento frequentas o 10.º ano na Escola Básica e Secundária do Cerco do Porto. Ainda te faltam dois anos para entrares no Ensino Superior. Quais as tuas perspetivas para o futuro? 
J.B.G. – Ainda não decidi a área profissional que quero seguir. Sei apenas que tenho um especial interesse pelas ciências. Penso talvez concorrer para Bioquímica na Universidade do Porto.

Num minuto… 
Nome: Joana Blanquet André Gonçalves
Idade: 16 anos
Natural: Santo Ildefonso, Porto
Reside: Porto, Campanhã
Hobby: Escutismo, toco guitarra e pertenço ao grupo “Fé e Luz”
Livro preferido: “Teorema de Katherine”, de John Green
Disco/músico preferido: Beyoncé
Filme que mais gostei: “Harry Potter e a Câmara dos Segredos”
Prato preferido é: Massa à bolonhesa
Praia: S. Pedro de Moel
País: Inglaterra
Férias em: Itália
Viagem que gostava de fazer: Volta ao mundo
Objetivo de vida: Contribuir para o bem comum
O que me inspira são: Os meus familiares e amigos

Comentários