CA da FRP e os Governadores dos Distritos 1960 e 1970 convocam Conselho de Presidentes

CA da FRP e os Governadores dos Distritos 1960 e 1970 convocam Conselho de Presidentes

O despacho de Maria Manuel de Lemos Leitão Marques, ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, data de 24 de Novembro de 2017, e atesta o que há muito era esperado. O deferimento «do pedido de autorização de alteração estatutária apresentado pelos órgãos próprios da Fundação Rotária Portuguesa». O Conselho de Presidentes irá decorrer no  próximo dia 3 de fevereiro.

Neste sentido, o atual Conselho de Administração (CA) da Fundação Rotária Portuguesa (FRP) reuniu em 26 de Dezembro de 2017, com os governadores dos Distritos rotários 1960, Afonso Malho, e 1970, Alberto Soares Carneiro, com o objetivo de analisar a situação e tomar decisão sobre as medidas a implementar.

De igual modo, e devido a esta situação, também o Conselho de Curadores (CC) da FRP reuniu no passado dia 13 de Janeiro, para analisar o documento emanado pela Tutela e dar o seu parecer.

Estes encontros suscitaram a realização de uma nova reunião do CA da FRP, no passado dia 20 de Janeiro, onde participaram os governadores de distrito em exercício e onde foi deliberado convocar o Conselho de Presidentes (CP) para o próximo dia 3 de fevereiro, às 10h00, no Hotel Dona Inês, em Coimbra.

Esta será a primeira reunião do CP que integra os atuais presidentes dos clubes rotários nacionais, bem como, os presidentes eleitos para o exercício rotário do ano 2018/2019.

A convocatória assinada por José Matias Coelho, presidente do CA da FRP; Afonso Malho, Governador do D 1960 e Alberto Soares Carneiro, Governador D 1970, tem como ordem de trabalhos a análise dos novos Estatutos da FRP; sufragar/ratificar os Conselhos de Administração e Conselho de Fiscalização da FRP, à luz dos novos estatutos homologados pela Tutela e a eleição do(a) Presidente, do(a) Vice-Presidente e do(a) Secretário(a) do Conselho de Presidentes, de acordo com o n.º 2 do artigo 14.º dos Estatutos da FRP.

No documento o CA da FRP, «tendo em vista a relevância dos assuntos a discutir», apela veementemente aos presidentes em exercício e aos presidentes eleitos «à comparência e participação, dado que é crucial que seja sufragado/ratificado o mandato dos atuais administradores eleitos e que todos os órgãos sociais da FRP funcionem com legitimidade e em pleno».

Conselho de Curadores (CC) pugna pelos interesses da instituição

Na reunião de 13 de Janeiro o Conselho de Curadores (CC) da Fundação Rotária Portuguesa (FRP) deliberou, por unanimidade, emitir um parecer que reflete a sua opinião no que diz respeito ao processo de transição dos anteriores Estatutos da FRP, para os novos Estatutos, alterados devido às diretrizes da Lei-Quadro das Fundações e que, recentemente, foram aprovados pela Tutela.

No texto do parecer o CC sustenta que o «processo de transição deve ser orientado e da responsabilidade do atual Conselho de Administração». Sugere ainda a convocação do Conselho de Presidentes para que este escolha entre os seus pares «um Presidente, um Vice-Presidente e um Secretário» bem como «elabore as regras do seu funcionamento e ratifique a atual composição do Conselho de Administração, dando-lhe dessa forma legitimidade para continuar a gerir a Fundação até à conclusão do processo de transição».

No documento o CC sublinha ainda que o processo de transição passa pelo sufrágio «de nove elementos do Conselho de Administração e de três elementos do Conselho de Fiscalização pelo supracitado Conselho de Presidentes». Este processo deve ocorrer «tão rápido quanto possível» e o CA «deve igualmente elaborar e aprovar um Regulamento Eleitoral», concluem.

FRP agradece penhoradamente a todos quantos constituíram a Assembleia de Representantes

De acordo com os novos Estatutos da FRP cessam as funções e as competências da Assembleia de Representantes (AR), e entra em exercício um novo órgão social denominado Conselho de Presidentes (PR).

Neste sentido, o CA da FRP, divulgou uma nota onde presta público agradecimento e reconhecimento da prestação de serviço levada a cabo por todos os rotários(as) que durante anos exerceram «as funções de Representante, objetivadas na comparência e participação nas reuniões; na transmissão aos nossos Companheiros dos Clubes dos projetos de ação da nossa FRP, veiculados através da Assembleia de Representantes; no trabalho de angariação de bolsas, de motivação e captação de sócios beneméritos» entre muitas outras iniciativas que tomaram.

No documento que fez chegar aos rotários a FRP acentua ter «a certeza que tudo o que foi feito pelos representantes, teve como finalidade, sempre: manter e aumentar o prestígio, a grandeza e o bom nome da Fundação Rotária Portuguesa junto das comunidades locais, onde sirva um clube rotário».

O agradecimento «justo e devido» não é um fechar de portas, antes pelo contrário, a FRP deixa «bem vincado agora e para sempre» que manterá «as suas postas abertas» a todos quantos a quiserem visitar e lembra a sua missão «que foi, é e será sempre, estar ao serviço dos clubes rotários portugueses».

Comentários