Mensagem de Julho do Governador do Distrito 1970 – Alberto Soares Carneiro

Mensagem de Julho do Governador do Distrito 1970 – Alberto Soares Carneiro

“O que vou fazer deste dia para que o Mundo se torne mais belo e mais justo”.

Roger Garaudy

Companheiros e Companheiras em Rotary

Na famosíssima obra de Charles Dickens “Contos de Natal”, o espírito de Jacob Marley diz ao seu antigo sócio Scrooge – “Negócios; a humanidade é que era o meu negócio: a caridade, a misericórdia, a tolerância e a benevolência, esses sim eram os meus negócios”.

Depois da sua morte, o espírito de Jacob Marley deu conta que o propósito da sua vida não eram os negócios mas sim a humanidade, os outros seres humanos e os seus “direitos inalienáveis à vida, à liberdade e à felicidade”.

O Rotary, uma rede global de 35.000 clubes, espalhados por 200 Países e regiões administrativas, dá-nos a possibilidade, a todos, sem exceção, de termos um propósito, de dar um sentido superior à nossa vida.

Através do Rotary, dos seus valores e dos projetos de serviço à comunidade e à humanidade, cada um de nós tem a possibilidade de tocar e transformar vidas. O Rotary permite-nos causar mudanças importantes nas comunidades.

Por isso, cada um de nós é uma peça chave nesta grande organização onde todos somos necessários e fundamentais para realizar projetos e concretizar os objectivos: Serviços à Comunidade e fomentar a Paz e a Compreensão entre os povos.

Em cada ano rotário, cada um de nós e o Rotary no seu todo e em todo o Mundo, renova estes superiores propósitos. Nada de novo, exceto que sempre temos a possibilidade de mostrar os valores, a diversidade e as causas do Rotary. O modo como, dia a dia, ano após ano, ajudamos a transformar vidas.

A questão é a de saber o que é que cada um de nós, com as suas competências e habilidades, em parceria com os demais companheiros rotários, será capaz de fazer (ou ajudar a fazer) para que o Mundo se torne mais justo e mais belo, já que a “Humanidade é a nossa Missão”, o nosso propósito? O que seremos capazes, em conjunto, de fazer de diferente e com maior impacto para que o Rotary possa dizer ao Mundo que “Faz a Diferença” e que um Mundo (e uma comunidade) sem o Rotary é seguramente uma comunidade mais pobre?

Eis o desafio que temos pela frente: Fazermos ainda mais (e é sempre possível fazer mais do que aquilo que já se fez) e realizarmos projetos com maior impacto nas comunidades.

No dia 30 de junho de 2018, cada um de nós e cada um dos clubes rotários terá de interrogar-se sobre qual foi o seu (pessoal e do clube) contributo para que o Rotary fizesse a diferença na vida das comunidades e das pessoas que precisam de nós e como essas ações que realizamos tiveram ou não impacto duradouro na vida dessas pessoas.

Nós Rotários, podemos fazer coisas extraordinárias; o Rotary dá-nos a possibilidade de fazermos aquilo em que acreditamos: os nossos sonhos podem ser realizados através do Rotary.

Convosco, sei que o Rotary está em boas mãos e vai “Fazer a Diferença”.

Paredes, 1 de Julho de 2017

O Companheiro, em Rotary,

 

Alberto Soares Carneiro

Comentários